Notícias

Lei que proíbe festa halloween em escolas é aprovada em Guaçuí

"Acho falta do que fazer. Há coisas muito mais importantes que isso no município para serem tratadas", comentou um morador

Em 19/10/2017 às 08h48


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Um projeto de lei aprovado na sessão desta segunda-feira (16) pela Câmara de Vereadores de Guaçuí, na Região do Caparaó, está dando o que falar na cidade. Pelo texto, ficam proibidas as festas de halloween nas escolas municipais por conta da festividade se tratar de uma cultura americana.

O texto é de autoria do vereador Laudelino Alves Graciano Neto (PP). Em seu entendimento, a proibição da festa, celebrada no dia 31 de outubro, não tem relação com a liberdade de expressão, e sim porque o halloween não faz parte do contexto social das crianças por se tratar de uma cultura americanizada.

Em uma nota de esclarecimento, publicada no Facebook, Laudinho, como é conhecido, justifica o projeto aprovado. "Temos que valorizar a nossa cultura brasileira como a festa junina, folclore, música regional, dentre outros. Aprender e praticar outras culturas podem ser feitas nos teatros, nas próprias casas, em casas de shows etc. Somos um país majoritariamente cristão, e estamos aqui para proteger nossas crianças!".

A matéria foi apreciada em duas sessões. No último dia 9, a votação foi unânime em favor do texto. Já nesta segunda foi aprovada com seis votos a favor e quatro contra.

REAÇÃO

O assunto tomou conta das conversas na cidade. O morador Vladimir Bolelli é contra a matéria aprovada. "Acho falta do que fazer. Há coisas muito mais importantes que isso no município para serem tratadas", comentou.

Além dele, o presidente da 6ª Subseção da OAB em Guaçuí, Luiz Bernard Sardenberg Moulin também não viu o projeto com bons olhos. Até o fim da semana, o órgão deve ingressar com uma ação de inconstitucionalidade, que será encaminhada à Comissão de Estudos Constitucionais da OAB.

"A OAB tem o papel de defender os interesses públicos. Entendo que o halloween é uma manifestação cultural e não cabe à Câmara proibir. É absurdo, polêmico e desnecessário. Estudar a língua inglesa é também conhecer sua cultura e o halloween está neste contexto", comentou.

A Prefeitura de Guaçuí foi acionada pela reportagem, mas não se manifestou sobre o assunto.

Fonte: Gazeta Online


Compartilhe: